Atualidade

Alopecia areata: Patient-Reported Outcomes e avaliação clínica

Em doentes com alopecia areata moderada a grave que participaram no ensaio clínico de fase 2a ALLEGRO, resultados das avaliações médico e auto-relatadas mostraram melhorias significativas dos doentes sob tratamento ativo, de acordo com os achados do estudo publicado no Journal of the European Academy of Dermatology and Venereology.

A alopecia areata (AA) é frequentemente associada a menor qualidade de vida relacionada com a saúde (HRQoL), incluindo ansiedade e depressão. O ensaio clínico de fase 2a ALLEGRO (ClinicalTrials.gov Identifier: NCT02974868), que investiga a segurança e eficácia de ritlecitinib e brepocitinib em adultos com AA, não avaliou correlações entre os outcomes auto-reportados pelos doentes e os médico-reportados. Os investigadores procuraram examinar o score Alopecia Areata Symptom Impact Scale (AASIS), uma ferramenta de patient-reported outcome, assim como o score de avaliação clínica designado Severity of Alopecia Tool (SALT), e avaliar possíveis correlações.

Para o efeito, os autores realizaram uma avaliação post hoc retrospetiva dos scores AASIS e compararam esses resultados com os scores SALT previamente avaliados no estudo aleatorizado, com dupla-ocultação, controlado por placebo e multicêntrico ALLEGRO trial, desenvolvido nos EUA, Canadá e Austrália. Nele foram incluídos 142 doentes adultos até aos 75 anos de idade, cuja perda de cabelo por AA envolveu ≥50% do couro cabeludo durante sete anos ou menos quem não tenha experienciado um crescimento espontâneo nos últimos meses.

Os dados demográficos entre as coortes de tratamento [ritlecitinib (n = 48) e brepocitinib (n = 47)] e placebo (n=47) são equilibrados para a idade (intervalo médio, 34-38 anos), sexo (feminino, intervalo 62 %-77 %), e raça (caucasiana, 77 %-96 %). Porém, desviado do protocolo, 3 de 47 doentes no grupo placebo apresentam um episódio atual de queda de cabelo até 29,5 anos (inclusão de resultados outlier pode distorcer a análise estatística), e 1 doente na coorte ritlecitinib com um episódio atual de 7,5 anos.

“As diferenças médias dos Mínimos Quadrados (least-squaresvs. placebo à semana 24 foram calculadas para o score global AASIS, 4 subescalas de scores e 13 scores em itens individuais nos grupos de tratamento ativo, utilizando o modelo misto para medidas repetidas”. O coeficiente de correlação de Pearson (valores r) foi o utilizado para avaliar a relação entre os scores AASIS e SALT.

Notou-se que os scores AASIS e SALT na linha basal foram semelhantes nas coortes de tratamento.  Na semana 24, os scores AASIS melhoraram significativamente para as coortes de tratamento (diferenças médias least-squares vs. placebo para ritlecitinib, -0,8 para -2,3; brepocitinib, -0,9 para -3,7; P <0,05 para todos).

A média do score SALT [desvio padrão] melhorou à semana 24 comparando com a linha basal (ritlecitinib, 54,4 [40,3] vs. 89,4 [15,8]; brepocitinib, 31,9 [35,7] vs. 86,4[18,1]). “Os coeficientes de correlação entre o AASIS global, as subescalas e os scores SALT à semana 24 variaram entre 0,34 e 0,58; P <0,05 para todos,” disseram os investigadores. (Coeficientes de correlação entre 0,5 e 0,7 indicam correlação moderada. Coeficientes de correlação entre 0,3 e 0,5 indicam baixa correlação.)

As limitações do estudo incluem viés na seleção de resposta AASIS, viés de ambiguidade nas questões AASIS, incapacidade de interpretação dos scores AASIS e incapacidade de avaliar melhorias com questões AASIS não relacionadas com a perda de cabelo. Mais ainda, o pequeno tamanho da amostra relativa a doentes que foram predominantemente caucasianos e do sexo feminino requer cautela na generalização dos resultados.

Os investigadores reportaram que a sua análise “mostrou que os doentes com AA que foram aleatorizados para o inibidor JAK3/TEC ritlecitinib ou para o inibidor TYK2/JAK1 brepocitinib no estudo ALLEGRO reportaram uma melhoria significativa na média do score global AASIS, nas suas subescalas e nos scores SALT após 24 semanas de tratamento, quando comparado com doentes aleatorizados para placebo.”

 

Referência

Winnette R, Banerjee A, Sikirica V, Peeva E, Wyrwich K. Characterizing the relationships between patient-reported outcomes and clinician assessments of alopecia areata in a phase 2a randomized trial of ritlecitinib and brepocitinib. J Eur Acad Dermatol Venereol. Published online January 9, 2022[RS1]. doi:10.1111/jdv.17909