Investigação

Moderna e MSD anunciam resultados positivos para vacina contra cancro da pele

As empresas de biotecnologia e farmacêutica Moderna e a MSD, respetivamente, anunciaram recentemente os resultados preliminares positivos para a sua vacina de RNA mensageiro em desenvolvimento contra o cancro de pele, quando tomada em combinação com um fármaco de tratamento oncológico.

Num ensaio com cerca de 150 pessoas com melanoma, a toma da vacina juntamente com o medicamento anticancerígeno pembrolizumab reduziu o risco de reaparecimento do cancro ou morte em 44 %, em comparação com pessoas tratadas apenas com o medicamento.

“Pela primeira vez, demonstrámos o potencial do RNA mensageiro para ter impacto num ensaio clínico aleatório em melanoma”, disse o CEO da Moderna Stephane Bancel.

Moderna e a MSD tencionam publicar em breve os resultados completos do ensaio, que ainda não foi objeto de revisão pelos pares, e lançar a fase III dos ensaios em 2023, envolvendo um número muito maior de doentes.

A tecnologia do RNA mensageiro provou ser fundamental na luta contra a pandemia da COVID-19. A Moderna foi uma das primeiras farmacêuticas, juntamente com a Pfizer-BioNTech, a propor uma vacina contra a COVID-19 utilizando o RNA mensageiro.

Esta tecnologia é considerada promissora na luta contra muitas outras doenças.

A vacina contra o melanoma que está a ser desenvolvida é “personalizada, concebida e produzida com base na assinatura mutacional única” identificada no tumor do paciente, segundo Stephane Bancel.

No ensaio, os pacientes foram submetidos a uma cirurgia para remover o tumor antes de receberem o tratamento, até nove doses de vacina.

Cerca de 325 000 novos casos de melanoma foram diagnosticados em todo o mundo em 2020.